10 livros estrangeiros de romance que marcaram época

10 livros estrangeiros de romance que marcaram época

Pra tirar a impressão errada de quem pensa assim, os livros de romance não têm esse nome porque contam histórias de amor. O gênero literário Romance, surgido no início do século XVII, se caracteriza pela narrativa em prosa, normalmente longa, com personagens (muitas vezes complexos) que vivem conflitos ou situações dramáticas. Os fatos são interligados e acontecem ao longo de um período não necessariamente narrados em ordem cronológica.

Romancistas atuais como Jojo Moyes, John Green e Gillian Flyn arrastam uma legião de fãs. Mas vamos dedicar o espaço a quem veio antes. Autores de obras eternas que continuam encantando cada vez mais leitores.

1. Dom Quixote de la Mancha (em espanhol, Dom Quijote de la Mancha)

Dom Quixote de la Mancha

Dom Quixote de la Mancha

Primeira edição em 1605, um clássico da literatura espanhola que ajudou a firmar o gênero romance. Escrito por Miguel de Cervantes, é considerado por críticos e autores da atualidade como a melhor obra de ficção de todos os tempos. Dom Quixote, o protagonista, é um fidalgo que vive no mundo da lua de tanto ler romances de cavalaria. Montado em seu cavalo Rocinante e acompanhado de seu fiel amigo Sancho Pança, nosso herói parte para o ataque contra um monstruoso dragão que na realidade é um moinho de vento. Essa e outras cenas surrealistas são motivos mais que suficientes para você embarcar nessa loucura.

2. As Viagens de Gulliver (Gulliver’s Travels)

As Viagens de Gulliver

As Viagens de Gulliver

Nesse clássico da literatura inglesa, primeira edição em 1726, o autor Johathan Swift utiliza a técnica da sátira, que ridiculariza determinado tema como forma de intervenção política para gerar uma mudança ou impedir que ela aconteça.

Gulliver, o protagonista, é um médico da marinha inglesa que, depois de sobreviver a um naufrágio, vive aventuras incríveis. No arquipélago formado por Lilliput e Blefuscu, os habitantes extremamente pequenos viviam em guerra por futilidades assim como os nobres franceses e ingleses do século XVIII. Em Brobdingnag, a terra dos gigantes, a sátira é sobre a mediocridade da sociedade inglesa.

No reino de Laputa, o questionamento é em relação à burocracia da administração inglesa na Irlanda e aos métodos dos cientistas da Royal Society, em uma feroz crítica ao pensamento cientifico sem benefícios para a humanidade. Na última etapa da aventura, Gulliver vai ao país dos Houyhnhm, uma espécie de cavalos superinteligentes, que representavam os ideais da verdade e da razão. Mesmo com seu alto grau de conhecimento, os Houyhnhm temiam os Yahoos, uma espécie imperfeita de humanos que se evoluísse, se tornaria inimiga. A sátira nessa terceira parte do livro é sobre a raça humana.

Depois de considera-lo um perigo à sua civilização, os Houyhnhm expulsam Gulliver. Novamente ao mar, ele é resgatado por um navio português e volta pra casa. Se torna recluso, evita o contato com esposa e filhos, e passa várias horas por dia conversando com seus cavalos. “As Viagens de Gulliver” foi adaptado para o cinema em 2010 com Jack Black no papel principal.

3. Cem Anos de Solidão (em espanhol, Cien Años de Soledad)

Cem Anos de Solidão

Cem Anos de Solidão

Com a primeira edição em 1967, escrito pelo colombiano Gabriel Garcia Marquez, Prêmio Nobel da Literatura em 1982, é considerado um dos livros mais importantes da literatura latino-americana. A narrativa conta a incrível história da família Buendía, fundadora da pequena aldeia de Macondo. Você vai se encantar com elementos fascinantes tais como um comboio carregado de cadáveres, uma população que perdeu a memória, mulheres trancadas por décadas em um local escuro, uma caminhada de vinte e seis meses.

Acompanhe a saga de várias gerações da família Buendía, sua luta contra a realidade e a quase destruição. Pessoas que nascem e morrem, vão embora e voltam, ou permanecem na aldeia até seus últimos dias. Em comum, a solidão que sentem mesmo vivendo em meio a tantas outras pessoas. O livro ganhou várias adaptações ao cinema, incluindo a versão brasileira.

4. E o Vento Levou… (Gone with the Wind)

E o Vento Levou...

E o Vento Levou…

Publicado pela primeira vez em 1936, escrito pela norte-americana Margaret Mitchell, ganhou vários prêmios literários, Pulitlzer, National Book Award e outros. Teve mais de 30 milhões de cópias vendidas e foi traduzido para mais de 30 idiomas.

Seguindo uma ordem cronológica, a história começa em 1861, no sul dos Estados Unidos. Filha mimada de um rico produtor de algodão, Scarlett O’Hara faz de tudo para manter sua propriedade durante o conturbado período da Guerra Civil Americana e da posterior reconstrução do país. Scarlett queria se casar com um de seus muitos admiradores, Ashley Wilkes, mas ele fica noivo de uma prima distante, a jovem Melanie Hamilton. Frustrada, nossa heroína encontra o falastrão Rhett Butler, com quem vive uma das histórias de amor mais célebres e agitadas da literatura mundial.

Outro personagem do livro é a própria guerra civil dos Estados Unidos, que causou mudanças profundas na sociedade e também no estilo de vida de Scarlett. Depois de vencer inúmeras dificuldades, sua última fala – que também é a última frase do livro – é cheia de esperança: “Amanhã é outro dia”.

“E o vento levou…” também foi adaptado para o cinema, em 1939, com Vivien Leigh no papel de Scarlett Scarlett O’Hara e Clark Gable (as mulheres na época suspiravam por ele) no papel de Rhett Butler.

5. Admirável Mundo Novo (Brave New World)

Admirável Mundo Novo

Admirável Mundo Novo

Primeira edição em 1932 e escrito pelo inglês Aldous Huxley, segue o pensamento filosófico da distopia. Em um futuro hipotético, a sociedade vive em condições insuportáveis, controlada pelo Estado ou por outros meios de opressão. A base é a sociedade atual, porém projetada em condições extremas no futuro.

Nesse livro delirante a sociedade é dividida por castas, a vida é completamente regida por valores científicos e não existem os valores religiosos e morais que nós seguimos atualmente. As pessoas não fazem sexo e na concepção in vitro todo ser humano recebe uma programação que definirá o seu destino.

As relações afetivas são efêmeras, palavras como “papai” e “mamãe” e são rejeitadas e as inseguranças são camufladas com o consumo de uma droga chamada “soma”. Tal cenário desenhado por Huxley é uma pesada crítica aos governos autoritários do nosso mundo. Ditaduras que podem chegar a um triste fim para a humanidade. Virou filme para o cinema e TV.

6. Os Filhos da Meia Noite (Midnight Sons)

Os Filhos da Meia Noite

Os Filhos da Meia Noite

Primeira edição em 1980, escrito pelo indiano Salman Rushdie, traz uma narrativa de realismo fantástico, que utiliza elementos mágicos como a distorção do tempo para que o presente se repita ou para que se pareça com o passado.

A trama gira em torno de dois bebês nascidos no mesmo hospital em Mumbai, uma cidade indiana. O nascimento foi em 15/08/1947, dia da Independência da Índia até então dominada pelos colonizadores ingleses. Uma enfermeira se confunde e troca Saleem, filho de família pobre, por Shiva, filho de família rica. Assim como todos os bebês indianos nascidos na durante a primeira hora desse dia, o protagonista Saleem tem um poder mágico, no seu caso a telepatia. Ele consegue reconstituir a história de sua família desde 1910 destacando as mudanças políticas e culturais da Índia, que traçam o seu destino e o de Shiva: eles acabam lutando em lados opostos nas batalhas pela independência. A trama gira em torno da união da realidade com o sonho, do inexplicável com a mitologia.

“Os filhos da meia noite” ganhou o Booker Prize, um consagrado prêmio literário britânico, e também virou filme, em 2012.

7. O Morro dos Ventos Uivantes (Wuthering Heights)

O Morro dos Ventos Uivantes

O Morro dos Ventos Uivantes

Um livro adaptado nove vezes para o cinema incluindo as versões japonesa e mexicana. A primeira filmagem foi em 1939 e a atual versão modernizada de 2012. Também virou série de TV nos Estados Unidos, novela no Brasil e inspirou uma música do rock nacional, da banda Angra. É o único romance da escritora britânica Emily Brontë, publicado pela primeira vez em 1847, um ano antes de sua morte aos 30 anos.

A história com ambiente agitado, sombrio e tenso tem como protagonista o atormentado órfão Heathcliff, apaixonado por Catherine, filha de seu benfeitor. Depois te ter o seu coração partido ele jura vingança contra todos que causaram a separação do casal. Catherine se casa com Edgard e vive cheia de conflitos porque mantém sua paixão por Heathcliff. Ela tem um filho com Edgard, mas infelizmente morre no parto. Revoltado com a notícia da morte de Catherine, Heathcliff se vinga de todos que causaram a separação. O livro teve muitas adaptações para o cinema, algumas fugindo um pouco do roteiro original.

8. O Iluminado (The Shining)

O Iluminado

O Iluminado

76 livros publicados (oito sob o pseudônimo Richard Bachman) com mais de 400 milhões de cópias vendidas, em mais de 40 países. O escritor norte-americano Stephen King é ídolo dos amantes do terror fantástico e da ficção.

Um romance de horror, O Iluminado foi lançado em 1977 e tem como ponto central a vida de Jack Torrance, um aspirante a escritor e alcoólatra em recuperação. Tal cenário reflete a reabilitação de Sthephen King e sua hospedagem no hotel que inspirou o hotel do livro.

Jack aceita o emprego de zelador e se muda com sua família – a esposa Wendy e o filho Danny – na baixa temporada do famoso Hotel Overlook, nas montanhas do Colorado, nos Estados Unidos. Danny é “Iluminado” porque tem um conjunto de habilidades psíquicas permitindo-lhe ver o passado tenebroso do hotel. O zelador anterior atirou e matou toda sua família.

Impedidos de sair do hotel por uma tempestade de neve, os Torrance não são os únicos presentes. Forças sobrenaturais começam a enlouquecer Jack, que tenta matar Wendy e Danny. Sem contar o que é, preste atenção a cena final do filme. É de arrepiar.

9. Sherlock Holmes

Sherlock Holmes

Sherlock Holmes

Criado pelo escritor britânico Sir Arthur Conan Doyle, o icônico personagem de romance policial apareceu pela primeira vez em uma revista inglesa. E também em livros:

Romances: Um estudo em vermelho (1887); O signo dos quatro (1890); O Cão dos Baskervilles (1901); O vale do terror (1915)

Contos: As Aventuras de Sherlock Holmes(1892); Memórias de Sherlock Holmes(1894); O Retorno de Sherlock Holmes (1905); O último adeus de Sherlock Holmes (1917), e Os Arquivos de Sherlock Holmes (1927).

15 versões no cinema, a mais famosa é a trilogia estrelada por Robert Downey Jr., no papel de Sherlock Holmes, e Jude Law, no papel do fiel escudeiro Watson: Sherlock Holmes (2009), Sherlock Holmes 2 – O Jogo de Sombras (2011) e Sherlock Holmes 3 – Um Reinado de Terror (2012). E também séries de TV, incluindo o atual sucesso mundial Elementary.

No primeiro volume, o Dr. Watson, ex-médico do exército da Rainha Vitória, vai dividir o aluguel de uma casa com o estranho e misterioso detetive Sherlock Holmes cujo trabalho baseia-se na dedução dos fatos. Um misterioso assassinato, com o corpo da vítima sem sinais de violência, é cometido em circunstâncias completamente desconhecidas. Sherlock passa a ajudar os detetives da Scotland Yard, que identifica o corpo de Enorch Drebber. Ao cheirar o lábio do morto, ele comprova que a causa foi envenenamento.

Seguindo com suas deduções fantásticas, o protagonista desvenda todos os crimes que investiga. Seu bordão é inesquecível: “Elementar, meu caro Watson.”.

10. Água para Elefantes (Water for Elephants)

Água para Elefantes

Água para Elefantes

Terceiro romance da escritora canadense Sara Gruen, conta uma história que começa quando Jacob Jankowski perde sua amada esposa e decide jamais falar sobre seu passado. Aos 90 anos, os filhos o deixam em uma casa de repouso. Sua recorrente falta de memória termina com a chegada de um circo que o faz recordar sobre sua juventude e os melhores e piores momentos de sua vida.

Pouco antes das provas finais da faculdade de veterinária, Jacob é devastado pela morte dos pais quando está com 23 anos. Movido por desespero e angústia ele pula dentro de um trem em movimento, que descobre ser do Esquadrão Voador do Circo Benzini, O Mais Espetacular Show da Terra.

Aceito para cuidar dos animais, sofre com humilhações da maioria dos circenses. Seu conforto é Marlena, a principal estrela, por quem se apaixona perdidamente. Só que ela era esposa do dono do circo. Depois de algumas situações adversas, os dois se casam e têm filhos.

“Água para elefantes” é um livro envolvente em que a autora nos leva a um mundo misterioso e encantador, construído com tamanha riqueza de detalhes. Uma encantadora viagem literária.

Deixe seu comentário:

Eduardo Artico

Eduardo Artico

Redator publicitário. Especialista na arte de criar sacadinhas e anúncios.

Veja mais publicações de Eduardo Artico

+ Artigos

Livros fazem a diferença na educação infantil
Livros fazem a diferença na educação infantil
10 famosos escritores brasileiros e suas principais obras
10 famosos escritores brasileiros e suas principais obras
Comprar livros da DarkSide Books tem sido uma boa ideia assustadora
Comprar livros da DarkSide Books tem sido uma boa ideia assustadora
Livros bíblicos ganham nova tradução fiel pela Paulinas
Livros bíblicos ganham nova tradução fiel pela Paulinas

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,